7 perguntas e respostas sobre oratória e falar em público

Você ainda trava na hora de falar em público? Veja dicas para as principais dúvidas que surgem neste momento

Treinamento SOAP
30/09/2023
7 min. de leitura
Reading Time: 7 minutes

Em 2015, o jornal britânico Sunday Times publicou uma pesquisa reveladora sobre os maiores medos que os seres-humanos têm. De acordo com a publicação, o medo de falar em público supera o da morte ou de doenças, por exemplo. 

Até hoje, a pesquisa é usada como referência para tratar o assunto, pois por meio dela pode-se perceber com mais clareza como as pessoas se sentem despreparadas quando precisam lidar com uma grande audiência ou têm que conduzir reuniões importantes. 

Esse temor de falar em público se relaciona com outro medo comum: o da rejeição. Um dos motivos para que isso aconteça é que, quando alguém está expondo suas ideias e opiniões, se sente julgado pela audiência, seja positiva ou negativamente, o que pode provocar inseguranças em quem está apresentando. 

Isso também pode estar ligado à autoestima e autoconfiança do indivíduo. Alguém com baixa autoestima acaba se tornando mais suscetível a tais medos, por questionar sua própria capacidade de se destacar ou de ser aceito. 

A boa notícia é que diferentes estratégias podem ser usadas para ajudar uma pessoa a superar seu medo de falar em público, incluindo terapia, construção de autoestima e, principalmente, conhecimento sobre o que deve ser feito na hora de uma apresentação para que ocorra tudo bem. 

Neste artigo, preparamos uma lista de perguntas e respostas com as dúvidas mais comuns sobre o tema. Leia na íntegra e saiba como se sentir mais confiante em palestras e reuniões importantes. 

Leia também: O que é glossofobia? Veja 5 sinais do medo de falar em público 

Você conhece seus pontos fortes e fracos? 

Antes de conhecer as dicas, é muito importante estar ciente sobre seus pontos fortes e limitações. Ou seja, em quais aspectos você já manda bem e em quais precisa melhorar?  

O autoconhecimento é a chave para você conseguir se sair bem em uma apresentação em público. 

Outra questão que vale ter em mente é que a comunicação não acontece somente de maneira verbal. Os gestos, expressões faciais, comportamentos, dentre outros elementos impactam significativamente o modo como sua mensagem é recebida pela audiência. 

O ponto-chave é entender que os sinais emitidos precisam estar em harmonia com a mensagem para conquistar a confiança da audiência e gerar credibilidade. 

Muitos desses elementos não-verbais são, na verdade, vícios que acumulamos ao longo da vida e reproduzimos de maneira inconsciente. Uma boa maneira de identificá-los é gravando a si mesmo e observando como você se comportaria em uma apresentação. 

Isso ajuda a identificar o que precisa ser ajustado na comunicação não-verbal para te ajudar a agir de maneira mais natural e, consequentemente, alcançar uma maior conexão com o outro. 

7 perguntas e respostas sobre oratória e falar em público 

Se apresentar em público não precisa ser um bicho de sete cabeças. Com a preparação certa, é possível tornar esse momento mais tranquilo e até mesmo prazeroso. Veja as dicas: 

Como me preparar emocionalmente para uma apresentação? 

O preparo emocional pode ser feito de duas maneiras. A primeira é cuidar da respiração. Essa estratégia, especificamente, tende a funcionar melhor quando feita a longo prazo. Mas usá-la antes de uma apresentação também pode ajudar. 

Antes de tudo, é preciso tomar consciência sobre seu estado emocional. Você está triste, nervoso, animado, com medo? Ter esse entendimento é importante para definir qual tipo de exercício você deve fazer. 

Por exemplo, se você estiver desanimado, o ideal é fazer um exercício focado na inspiração, para provocar a sensação de relaxamento. Já se você estiver em um estado muito agitado, faça um exercício focado na expiração para colocar essa energia para fora.  

Quatro ciclos de exercício de respiração já é o suficiente para te ajudar. Mas, conforme mencionado anteriormente, o ideal é ter uma prática de exercícios diários para ajudar a manter a mente em equilíbrio, o que reflete diretamente nas emoções de cada um. 

Outra dica importante dentro desse contexto é: faça um preparo técnico. Pode parecer óbvio, mas muitas pessoas não têm o costume de ensaiar antes de uma apresentação.Simular a situação vai te ajudar a se manter mais tranquilo na hora da apresentação real. 

Nosso cérebro não faz distinção entre treino e realidade. E isso é ótimo para te ajudar a entender previamente como você pode lidar com o nervosismo na hora de falar em público. Também é por meio do ensaio que você vai entender: 

1. O que fazer durante a apresentação; 

2. Se há ou não a necessidade de ajustar o roteiro pensado inicialmente; 

3. Quanto tempo você vai levar para falar todo o conteúdo necessário. 

Quanto mais próximo da realidade for o treino, melhor. Isso significa que se, por exemplo, no dia da apresentação você falará em pé, no seu treino faça a mesma coisa. Nosso principal desconforto em falar em público está ligado à surpresa, então se preparar especificamente para cada situação ajuda muito. 

Como gerar conexão com a audiência? 

Essa é uma das principais dúvidas existentes quando o assunto é falar em público. A verdade é que em uma apresentação ou reunião, as pessoas não vão ficar totalmente conectadas com você a todo tempo. 

Com isso em mente, o importante é pensar em como manter a audiência engajada pela maior quantidade de tempo possível. 

O primeiro passo é entender seu público para então oferecer um conteúdo relevante. Nesse ponto, vale destacar que o conteúdo precisa ser relevante para a audiência e não para você ou conforme o que você espera que eles considerem o mais importante. 

Por isso, estude bem o seu público e busque identificar o que essas pessoas realmente desejam. 

Mulher diante de uma plateia em uma apresentação profissional
Conheça bem o público para mantê-lo engajado durante a apresentação

Outro ponto para gerar conexão é personalizar seu discurso. Trabalhe ao longo da apresentação conteúdos que conversem com as principais dores e expectativas dessas pessoas. Além disso, adeque a sua linguagem ao ambiente e à audiência. 

Por fim, interaja com as pessoas, faça-as sentirem parte da conversa. As perguntas, por exemplo, são muito bem-vindas para ajudar nesse aspecto. 

E na hora da apresentação, o que fazer? 

Essa preparação é muito importante, mas na hora da apresentação também há algumas dicas que podem ajudar a tornar esse momento de falar em público mais tranquilo. 

Um deles é a performance vocal. Ou seja, sua expressividade vocal e pausas. As pausas, em especial, têm impacto significativo na percepção do público, pois é por meio delas que o apresentador consegue provocar reflexões e gerar entendimento. A pausa também ajuda na hora de manter a cadência da respiração mais adequada. 

O ideal é ir separando de tempos em tempos a linha de raciocínio que você está seguindo. E, quando houver momentos de interação, usar uma pausa mais longa para mostrar à audiência que você, de fato, gostaria que eles participassem desse momento. 

O segundo elemento é a linguagem corporal, composta pela postura, os gestos e a expressão facial. 

Em relação à postura, o ideal é não desviar muito a atenção do público através da movimentação e muito menos transmitir a ideia de nervosismo, desconforto e agitação.    

Para isso, a principal dica é evitar ficar pendulando e tentar manter a postura mais neutra e simétrica possível. Já no online, preocupe-se com o ângulo da câmera, que deve estar direcionada para o seu rosto. 

Já os gestos merecem destaque, porque eles podem ajudar a dar movimento para o que está sendo falado. No entanto, eles precisam combinar com a mensagem e ser feitos conscientemente.  

Atente-se aos chamados gestos manipulatórios, ou seja, aqueles gestos repetitivos que geram a sensação de que você está desconfortável, como mexer esfregar as mãos ou mexer muito nos cabelos. 

Por fim, a expressão facial deve trazer assertividade e clareza para a mensagem. Se a expressão do seu rosto não combinar com a sensação que pretende passar, a fala fica desconexa e não gera credibilidade. 

Qual costuma ser o tempo de concentração e escuta da audiência? Preciso tratar os pontos mais importantes nos primeiros 15 minutos de apresentação? 

Um início atraente e engajador, de fato, faz com que as pessoas inconscientemente percebam que vale a pena continuar seguindo a sua linha de raciocínio. Especificar logo de início quais assuntos serão tratados ao longo da apresentação é uma das formas de conquistar de início o engajamento da audiência. 

Mas não é uma regra que a informação principal precisa estar nos primeiros 15 minutos da apresentação. O mais importante é conquistar a atenção da audiência e trabalhar para mantê-la até que seu ponto seja passado. Isso pode ser feito por meio de uma pergunta, por exemplo, gerando reflexão e suspense. Por isso, um roteiro bem estruturado e uma boa narrativa são elementos-chave. 

E se alguém demonstrar que está insatisfeito com a minha apresentação? 

Em primeiro lugar, é importante entender que o fato de uma pessoa estar muito séria ou pouco participativa não significa necessariamente que ela desaprova seu conteúdo ou está insatisfeita com a apresentação. 

Mas, se sentir algum comportamento mais distante de alguma pessoa da audiência, tente trazê-la para conversa, fazendo alguma pergunta ou comentário que a convide a participar. 

Além disso, certifique-se que todos estão acompanhando sua linha de raciocínio e entendendo o conteúdo que será transmitido. É importante estar preparado para perguntas e possíveis questionamentos.  

Vale também considerar pedir um feedback após a apresentação. Essa troca será valiosa para aprimorar as suas habilidades em construção de apresentações e performance como apresentador. 

O humor é bem-vindo nas apresentações? 

Sim. O humor é um artifício que pode ser usado para gerar conexão e proximidade com a audiência, mas com cautela. Não exagere na quantidade de piadas e certifique-se de que são apropriadas para aquele contexto. 

Outro ponto importante é respeitar seu estilo como apresentador. Não force uma situação para parecer engraçado perante o público. 

E se der branco? 

Durante uma apresentação, pode acontecer de em algum momento esquecer uma parte ou outra da apresentação. Se você passar por essa situação, a primeira coisa a se fazer é não entrar em pânico. 

Pare, respire fundo e tente retomar seu foco. E caso tenha um slide de apoio ou anotações à mão, dê uma olhada rápida nelas. Especialmente se você tiver feito uma boa preparação prévia, isso te ajudará a retomar sua linha de raciocínio com mais facilidade. 

Se você realmente não conseguir se lembrar do que deveria dizer a seguir, redirecione a conversa. Passe para um ponto adiante e diga que voltará ao tópico um pouco mais a frente. Se apropriado, o humor também pode te ajudar a lidar com a situação e aliviar a tensão. 

Invista em técnicas de oratória para falar bem em público 

Autoconhecimento, consciência verbal e não-verbal, oratória: todos esses são elementos importantes para quem precisa conduzir reuniões ou apresentações em público. E todas essas habilidades podem ser desenvolvidas com conhecimento e técnica. 

No workshop SOAP Apresentador você vai aprender a gerar conexão e engajamento com sua audiência/interlocutor, transmitir credibilidade ao falar em público, mitigar vícios de expressão, usar recursos vocais e pausa, falar de forma congruente e explorar a sua singularidade e autenticidade. 

O treinamento é personalizado conforme a demanda da sua empresa ou equipe. Quer saber mais? Consulte um de nossos especialistas. 



Posts Relacionados

Meta SMART: o que é e como aplicar em sua estratégia de comunicação?

Treinamento
29/02/2024
leia agora

Comunicação interpessoal e intrapessoal: quais são as diferenças?

Comunicação
28/02/2024
leia agora

Endereço

Rua Gomes de Carvalho, 1266 - sala 72
Vila Olímpia - São Paulo | Brasil
(55.11) 4084.4085 [email protected]

No mundo

Portugal
USA
França