10 erros de dicção e oratória para não cometer em apresentações

E mais importante ainda: aprender a lidar com esses erros na hora H

Treinamento SOAP
29/02/2024
5 min. de leitura
Reading Time: 5 minutes

Erros de dicção e oratória acontecem. A primeira coisa que qualquer pessoa precisa saber para lidar com eles é aceitar que às vezes não vai ter jeito.  

Quem nunca engoliu uma palavra? Teve um branco na hora de falar? Confundiu os pensamentos e se enrolou na hora de expressar a ideia? 

Mesmo os mais talentosos comunicadores estão sujeitos a cometer deslizes em seus discursos. Mas o que faz do bom orador um bom orador é sua capacidade de lidar com esses erros e saber, na medida do possível, estratégias para evitá-los.  

O primeiro passo é entender que dicção e oratória são dois conceitos distintos.  

Qual a diferença entre dicção e oratória? 

A dicção e a oratória são duas habilidades relacionadas à comunicação verbal.  

Mas a dicção refere-se, especificamente, à maneira como as palavras são articuladas e pronunciadas. Envolve a clareza, precisão e fluência na pronúncia de sons, sílabas e palavras.  

Uma boa dicção é fundamental para garantir que a mensagem seja compreendida corretamente pelo público.  

Envolve aspectos como a distinção entre fonemas similares, a ênfase adequada nas sílabas e a modulação da voz para tornar a fala mais agradável e compreensível.  

A oratória, por outro lado, é a arte de falar em público de forma persuasiva e eficaz. Envolve não apenas a dicção, mas também aspectos como a organização do discurso, o uso eficaz da linguagem, a gestão do tempo, o controle da voz e do corpo, a conexão com o público e a capacidade de argumentar e convencer.  

Um bom orador é capaz de cativar sua audiência, transmitir sua mensagem de forma convincente e influenciar suas opiniões e comportamentos.  

Portanto, a dicção faz parte e é um elemento-chave para não cometer erros de oratória. Quem tem boa dicção já tem mais chances de desenvolver discursos melhores

10 erros de dicção e de oratória para evitar 

Murmúrio ou fala baixa 

Falar em um tom de voz muito baixo pode dificultar a compreensão do público e transmitir falta de confiança. Solte-se! 

É importante projetar a voz adequadamente para que todos possam ouvir claramente e se envolver na apresentação. 

Falar muito rápido 

Falar rapidamente demais pode fazer com que a mensagem se perca e o público fique confuso.  

É importante respirar profundamente, manter um ritmo constante e pausar periodicamente para permitir que as pessoas absorvam as informações. 

Você só vai conseguir isso se estiver consciente de suas emoções e no controle delas. 

Monotonia 

Falar em um tom monótono e sem entusiasmo pode tornar sua apresentação entediante e desinteressante.  

Varie o tom de voz, a entonação e o volume para manter o interesse e a atenção da plateia. Sua expressão vocal precisa refletir a emoção da sua mensagem.  

Por exemplo: numa reunião de apresentação de resultados, ao falar sobre os ganhos do semestre, coloque entusiasmo na hora de falar os números que conquistaram. 

Vícios de linguagem 

Expressões como “hum”, “ééé”, “tipo”, entre outras, podem distrair o público e diminuir a credibilidade do orador.  

Concentre-se em falar de forma clara e direta, eliminando esses vícios de linguagem. Para isso, praticar o discurso é fundamental.  

Evitar o contato visual 

Evitar o contato visual com o público também pode transmitir falta de confiança e desconexão. O que há de tão interessante em seus pés para você ficar olhando para eles? 

Mantenha contato visual com diferentes partes da plateia para criar uma conexão mais forte e envolver todos os presentes na apresentação. 

Se você tem alguma dificuldade com contato visual, uma dica que pode ajudar é não focar em ninguém em específico ou focar em locais perto dos olhos, como a testa das pessoas (é sério, funciona). 

Mulher gesticula ao explicar um ponto, superando erros de dicção e oratória durante uma palestra.
Treinar é fundamental para evitar erros de dicção e oratória

Usar jargões ou linguagem técnica excessiva 

Isso pode confundir parte do público que não está familiarizado com esses termos. É importante adaptar a linguagem ao público-alvo e explicar conceitos complexos de forma clara e acessível. 

Lógico que, em alguns casos, esses termos podem fazer sentido. Mas é sempre importante avaliar caso a caso.  

Lembre-se de que o objetivo do seu discurso não é apenas transmitir credibilidade, também é se fazer compreendido.  

Ausência de roteiro 

O roteiro serve para que o seu discurso seja coerente e conciso. Ele até pode ter margem para a espontaneidade, mas precisa funcionar como um direcionamento de conteúdo.  

Sem roteiro, você tem mais chances de cair na armadilha de “encher linguiça” porque a gestão tempo-conteúdo não funcionou, por exemplo.   

Gírias 

Assim como os jargões não cabem em determinados contextos porque podem gerar confusão, o uso excessivo de gírias e de linguagem muito coloquial pode prejudicar a compreensão. O mesmo vale para regionalismos, sendo necessário levar em consideração o que faz sentido ou não de acordo com a região onde você está.  

Repetimos: é importante adaptar a linguagem ao público-alvo da apresentação. 

Leitura excessiva de slides 

Ler os slides palavra por palavra pode fazer com que o apresentador pareça pouco preparado e desinteressante.  

Os slides devem servir como suporte visual, e o apresentador deve falar de forma mais elaborada sobre o conteúdo apresentado. 

Tudo bem se esquecer alguma coisa e precisar fazer aquela “colinha”, mas não coloque todo seu discurso na tela. 

Desvio do tema 

Perder o foco e desviar do tema principal pode confundir o público e fazer com que sua atenção se desprenda. Ou seja, compromete a eficácia da apresentação.  

É importante manter o foco nos principais pontos e evitar divagações irrelevantes. Por isso voltamos a um ponto já mencionado: tinha um roteiro e siga-o. 

Errei! E agora? 

Como falamos no início deste artigo, erros de dicção e oratória acontecem. Eles devem ser evitados, mas, uma vez que aconteceram, é necessário saber lidar com a situação.  

E é aí que está o maior desafio: lidar com o erro. Isso pode ser particularmente difícil num momento de tanta vulnerabilidade e atenção para si, como um discurso. 

Aqui estão algumas etapas que você pode seguir para lidar com a situação e seguir em frente: 

1. Mantenha a calma e respire fundo. Não deixe que o erro o desestabilize ou o faça perder o foco. 

2. Corrija-se, se possível, imediatamente. Se você pronunciou uma palavra de forma incorreta ou cometeu um equívoco factual, corrija-se de maneira clara e sucinta. 

3. Peça desculpas, se necessário. Se o erro foi significativo ou causou algum mal-entendido, é apropriado pedir desculpas de forma breve e profissional. No entanto, evite prolongar o pedido ou se desculpar repetidamente, pois isso pode distrair ainda mais o público. 

4. Continue a apresentação, não deixe que o erro o impeça. Volte ao ritmo normal e continue entregando seu conteúdo da melhor maneira possível. 

Lembre-se de que um erro isolado não define sua capacidade como apresentador. Mantenha a confiança em suas habilidades e continue focado em transmitir sua mensagem com clareza e convicção. 

Após a apresentação, reflita sobre o erro de dicção e oratória cometido e identifique maneiras de evitar que isso aconteça novamente no futuro. Use a experiência como uma oportunidade de aprendizado e crescimento. 

A SOAP pode te ajudar a evitar erros de dicção e oratória 

Técnicas para falar em público são o caminho para evitar erros de dicção e oratória. O treinamento in company SOAP Apresentador ensina você e seu time a se comunicarem de forma mais segura e assertiva nas reuniões e apresentações profissionais.  

Mais do que um curso de oratória, aqui também trabalhamos o autoconhecimento para que os participantes desenvolvam consciência verbal e não verbal ao se apresentarem. Vamos trabalhar com técnicas para diminuir o gap de percepção entre a imagem que você gostaria de transmitir e o que o outro vê. 

Neste curso vocês vão aprender a: 

  • Gerar conexão e engajamento com a audiência/interlocutor 
  • Transmitir credibilidade ao falar em público 
  • Mitigar vícios de expressão 
  • Usar recursos vocais e pausa 
  • Falar de forma congruente ao objetivo 
  • Explorar a sua singularidade e autenticidade 

Ficou interessado? Saiba mais! 



Posts Relacionados

Como falar por mensagem no trabalho usando o WhatsApp? Confira 5 dicas

Comunicação
27/03/2024
leia agora

O que fazer para melhorar a comunicação interpessoal?

Comunicação
11/03/2024
leia agora

Endereço

Rua Gomes de Carvalho, 1266 - sala 72
Vila Olímpia - São Paulo | Brasil
(55.11) 4084.4085 [email protected]

No mundo

Portugal
USA
França