Comunicação verbal e não verbal: entenda o que são e quais os benefícios de uma boa comunicação no trabalho

A comunicação verbal e não verbal são estratégias que os comunicadores de sucesso usam em suas apresentações e treinamentos.

Treinamento SOAP
19/01/2022
7 min. de leitura

A comunicação verbal e não verbal são estratégias que os comunicadores de sucesso usam em suas apresentações e treinamentos. O interessante disso, é que, muitas vezes, aplicamos essas duas maneiras de comunicar no nosso dia a dia e nem percebemos. Saiba que quando elas são aliadas corretamente, somos beneficiados no trabalho e até mesmo em casa.

Imagine a seguinte situação: após meses de longa dedicação desenvolvendo um projeto, é chegada a hora de apresentá-lo aos seus gestores. Nesse momento, você começa a falar com a certeza de que tudo dará certo. Afinal, todos os pontos estão fechados e, durante o andamento do trabalho, seus pares elogiaram a breve descrição da ideia que ouviram.

Porém, os resultados acabaram não saindo como o esperado. O projeto foi reprovado pela liderança e você não entendeu o porquê. A sua mente ficou repleta de questionamentos: “qual terá sido o motivo do fracasso? Onde eu errei?”

A resposta para isso pode estar na comunicação. O projeto talvez não tinha erros e poderia ter sido aprovado. 

Pela importância desse assunto e para evitar esse tipo de situação, a SOAP elaborou este artigo para falar da comunicação verbal e não verbal. Certamente, com as explicações e dicas você saberá como agir e reagir nas suas próximas audiências de trabalho. Vamos lá?

O que é comunicação verbal?

A comunicação verbal refere-se a todas as formas de comunicação baseadas na fala entre duas ou mais pessoas. Isso inclui palavras ditas, mensagens escritas e linguagem de sinais, assim como todas as informações codificadas que representam um determinado sistema de linguagem.

No momento em que encontramos outra pessoa, começamos a nos comunicar. Enviamos pistas que o outro interpreta e responde de certa maneira. Em nossas interações no dia a dia, a comunicação verbal pode decidir o quão bem as pessoas se dão (tanto de forma pessoal quanto profissional).

Por isso, temos que expressar o que queremos dizer da maneira mais clara possível para evitar mal-entendidos. Além disso, precisamos ouvir com respeito, sem interromper a pessoa que está falando. É muito importante também, ter um certo grau de empatia para interpretar corretamente os sinais verbais dessa pessoa.

O saber ouvir o próximo e a empatia são recursos da escuta ativa. Ambos os exemplos são técnicas que funcionam como pilares para desenvolvermos a comunicação verbal de forma eficiente.

Do que depende a eficácia da comunicação verbal? De detalhes como o tom do locutor, clareza da fala, velocidade, volume, linguagem corporal e qualidade das palavras usadas na conversa. 

No caso da comunicação verbal, o feedback é imediato, pois há transmissão e recebimento simultâneos da mensagem pelo emissor e pelo receptor. O sucesso da comunicação verbal depende não somente da habilidade de falar de uma pessoa, mas também da habilidade de ouvir. 

O grau de eficácia com que um indivíduo ouve o assunto determina a eficácia da comunicação. Portanto, trata-se de uma troca de experiências e sensações entre indivíduos.

O que é a comunicação não verbal?

A comunicação não verbal refere-se à transmissão de significado sem o uso de palavras escritas ou faladas. Ou seja, é qualquer comunicação feita entre duas ou mais pessoas por meio do uso de movimentos das mãos, expressões faciais, linguagem corporal, posturas e gestos.

Enquanto a comunicação verbal auxilia na comunicação dos eventos externos, a comunicação não verbal ajuda a estabelecer e manter as relações interpessoais. As pessoas usam essa forma para expressar emoções e atitudes, apresentar sua personalidade, fazer uma saudação, entre outras coisas.

O uso de sinais e expressões, por exemplo, acrescentam significados à comunicação verbal e ajudam as pessoas a se comunicarem com mais eficiência. Isso acontece quando você está dizendo algo e acena com a cabeça ou faz gestos para dar instruções.

A comunicação não verbal regula o fluxo da comunicação. Por exemplo, se uma pessoa tem uma expressão facial de raiva, assume uma postura agressiva, invade seu espaço pessoal e lhe toca de forma inadequada. Então você supõe haver um confronto iminente, pois as pistas não verbais substituem qualquer ato verbal.

Outro exemplo acontece com a escrita (comunicação verbal), na qual também há comunicação não verbal, apresentada por meio do estilo de caligrafia, espaçamento e similares. A prova disso acontece quando a pessoa escreve em caixa alta, ela passa a impressão de que está gritando e comunicando de maneira violenta.

Com base nessas considerações, podemos ver que a comunicação não verbal pode dizer tanto ou, às vezes, mais do que a comunicação verbal.

Qual é o sinal do corpo durante a comunicação verbal?

Quando dialogamos, o nosso corpo dá sinais de comunicação verbal e não verbal. Isso pode ser observado tanto por nós quanto pelas pessoas no momento de nossas reuniões. Conheça o principal sinal do corpo durante a comunicação verbal.

A fala

A fala é o sinal do nosso corpo durante a comunicação verbal. Em momentos decisivos de nossas vidas, é normal que sejamos tomados por um certo grau de nervosismo. Diante disso, é comum que ocorra o tremor dos lábios, o gaguejar e a expressão tensa do apresentador.

Quando as inseguranças de quem apresenta são visíveis, o público tem a imagem de um apresentador sem autoridade ou autoconfiança para falar sobre o assunto. Talvez tenha acontecido isso em nosso exemplo fictício da apresentação de projeto, no início do texto.

Quais são os sinais do corpo durante a comunicação não verbal?

A comunicação verbal também apresenta as suas particularidades durante as audiências. Conheça agora os sinais do nosso corpo nesse modo de se comunicar e as suas maneiras de compreendê-los e utilizá-los corretamente.

A posição das mãos

Existem movimentos comuns nos apresentadores nervosos. O apertar e desapertar a caneta ou a sua tampa, tirar, colocar e girar a aliança, mexer no cabelo a todo instante são alguns deles. Muitas vezes, esses gestos são feitos inconscientemente. O problema disso é que eles não dizem ou acrescentam informação alguma para a audiência.

Esses movimentos repetitivos e inconscientes, são atos prejudiciais no processo de comunicação. Por outro lado, existem movimentos naturais aos seres humanos que, quando bem utilizados, servem para complementar a mensagem verbal, por exemplo, o acompanhamento das mãos no ritmo da fala.

Quando um assunto tem de ser enfatizado, os gestos costumam ser mais acentuados do que nos temas menos relevantes. Gesticular, então, é sempre bem-vindo. Já os movimentos “automáticos” devem ser evitados ao máximo — no melhor dos mundos, nem aparecerem.

A conexão visual

Para facilitar o entendimento da conexão visual, começamos com um exemplo: imagine que você está em seu primeiro dia em um novo trabalho. No intervalo para o almoço, você pretende causar uma boa impressão e se enturmar com o pessoal. Porém, logo de cara algo lhe desaponta.

Ninguém olha para você e muito menos lhe introduz os assuntos. Qual seria a sua reação nesse contexto? Provavelmente, se sentiria rejeitado. Essa situação ilustra a importância da conexão visual na hora de se comunicar. A falta de olhar, vale nas apresentações corporativas e prejudica o trabalho dos apresentadores.

Nesses casos, certifique-se de que esteja fazendo conexão visual com as pessoas da audiência, principalmente se perceber que alguns estejam desatentos. Fazendo isso, conseguirá chamar a atenção e fazer com que o público se conecte na sua apresentação. Assim, melhora o seu poder de influência.

Para provocar a conexão visual de maneira premeditada, existe uma técnica muito eficiente. Faça o seguinte: olhe quatro segundos para um ouvinte e, então, direcione o olhar para outro.

Cuide, apenas, para não olhar por muito tempo para uma mesma pessoa. Em vez de criar a conexão visual desejada, isso pode gerar um desconforto entre o apresentador e membros da plateia. Inclusive pode até ser interpretado para alguns como um tipo de assédio.

Quais são os tipos de comunicação verbal e não verbal?

Reunimos alguns exemplos práticos de comunicação verbal e não verbal no local de trabalho. Saiba que, quando são explorados de forma certa, entregam os objetivos esperados pelos profissionais da comunicação e pela liderança da organização.

Verbais

  • Falar de maneira clara e articulada;
  • Escrever;
  • Ler e interpretar corretamente;
  • Enviar códigos falados ou escritos;
  • Pedir ajuda;
  • Fazer perguntas;
  • Uso da voz.

Não verbais

  • Linguagem corporal (gestos, postura, expressões faciais);
  • Aparência, vestuário e estilo de cabelo;
  • Voz;
  • Proxêmica (distância entre pessoas) e contato físico;
  • Comunicação paraverbal (tom da fala e velocidade);
  • Contato visual.

Quais são os benefícios da comunicação verbal e não verbal no trabalho?

No dia a dia, a comunicação verbal e não verbal estão intimamente ligadas. Por exemplo, mesmo que você esteja conversando com alguém no telefone e não esteja vendo-a, você pode criar uma impressão dela baseada na voz ou na velocidade com que ela está falando.

Quando conhecemos uma pessoa, logo imaginamos que ela é agradável ou não, com base nas suas características de comunicação. Em nosso local de trabalho, essas habilidades são ainda mais importantes porque é essencial colaborar de forma eficaz e eficiente com colegas e clientes.

Abaixo, conheça os principais benefícios da comunicação verbal e não verbal no ambiente de trabalho.

Construção de boas relações internas entre superiores, colegas de trabalho e clientes

As empresas, por mais tecnológicas que sejam, dependem das pessoas. Dessa maneira, o bom uso da comunicação verbal e não verbal constrói relações saudáveis entre a liderança, as equipes e os clientes.

Maior eficiência no trabalho em equipe

Quando uma equipe está bem alinhada e envolvida em seus processos de comunicação verbal e não verbal, basta um olhar para que um trabalhador consiga entender o que o outro precisa ou está querendo dizer. Isso torna o trabalho mais eficiente e amigável, além de ajudar a evitar os ruídos da comunicação.

Melhor uso das habilidades profissionais

A comunicação verbal e não verbal por manuais escritos e recursos visuais, são maneiras de aproveitar as habilidades dos profissionais ao informar os procedimentos e as práticas corretas das operações. No momento em que estes estão em seus postos de trabalho, sabem o que é preciso fazer e evitam atrasos nas entregas.

Facilidade no diálogo

A tecnologia possibilita tanto as empresas quanto os trabalhadores a oferecerem os seus serviços de forma diferente do convencional. O grande exemplo disso é o home office e as vendas online. 

Mesmo em situações em que há apenas a audição, por inexistência de câmera de vídeo, é possível fazer a comunicação verbal e não verbal de maneira eficiente. Isso porque, os recursos da fala e da escrita facilitam e permitem o diálogo perfeito. 

Dessa maneira, a comunicação fluirá nos momentos de apresentação de produtos, treinamentos e os estabelecimentos de metas, entre outras necessidades.

Melhora a capacidade de se expressar com clareza e compreender os outros

Quando uma empresa investe na comunicação verbal e não verbal, ela proporciona a melhoria da capacidade de seus colaboradores expressarem com clareza, tanto entre eles quanto com os clientes.

Clareza na comunicação

Comunicar corretamente usando a comunicação verbal e não verbal é uma maneira de obter sucesso no dia a dia das corporações. Isso porque, a soma das duas técnicas complementa a mensagem.

Essas duas técnicas conseguem envolver tanto as pessoas com mais facilidade de entender a fala ou a escrita quanto aquelas que são mais visuais e se prendem mais aos detalhes físicos e gestuais.

Conhecer e aplicar as habilidades técnicas e as boas práticas nos processos de trabalho são atitudes indispensáveis para o sucesso profissional. Com a comunicação verbal e não verbal os apresentadores e comunicadores conseguem expressar melhor as suas ideias. Esses procedimentos tendem a criar discursos e treinamentos mais interessantes!

Gostou do assunto sobre comunicação verbal e não verbal? Então, continue com a gente! Além do blog, estamos no Instagram, no Facebook, no LinkedIn e no YouTube. Nos encontramos por lá.


Tags: apresentações corporativas, apresentações profissionais, comunicação corporativa, falar em público, oratória

Posts Relacionados

PowerPoint x Google Slides: afinal, qual é o melhor?

Apresentações profissionais
17/01/2022
leia agora

Você sabe qual o papel do facilitador? Confira como desenvolver esse perfil na sua empresa!

Comunicação Corporativa
12/01/2022
leia agora

Endereço

Rua Gomes de Carvalho, 1266 - sala 72
Vila Olímpia - São Paulo | Brasil
(55.11) 4084.4085 [email protected]

No mundo

Portugal
USA
França