Qual a importância do feedback para líderes e liderados?

E como implementar uma cultura de feedback nas empresas

Treinamento SOAP
28/05/2024
5 min. de leitura
Reading Time: 5 minutes

A cultura do feedback entre líderes e liderados em uma empresa pode ser um dos principais fatores para o sucesso do negócio. Além de aumentar a clareza e a eficiência na comunicação, pode contribuir para a motivação e o engajamento dos funcionários.  

Ao receberem feedback regular, os colaboradores sentem-se valorizados e compreendem melhor como suas atividades impactam os objetivos mais amplos.  

Além disso, esse hábito de avaliar e dar retorno sobre os processos ajuda a identificar e resolver problemas mais rapidamente, antes que evoluam para questões mais graves. 

Feedback, vale lembrar, é basicamente a prática de comunicar de forma regular e construtiva sobre desempenho, comportamentos e expectativas entre colaboradores e gestores.  

Isso pode acontecer por meio de um sistema de avaliações de desempenho, por exemplo, ou revisões anuais onde gestores e empregados discutem abertamente seu desempenho, em reuniões individuais e periódicas ou, simplesmente, estabelecendo o hábito de dar feedback após a conclusão de projetos importantes. 

5 motivos para estabelecer o feedback entre líderes e liderados 

1. Melhor desempenho 

O feedback regular ajuda os liderados a entenderem claramente as expectativas, melhorarem suas habilidades e corrigirem erros de forma proativa.  

Para os líderes, proporciona a oportunidade de orientar e desenvolver sua equipe, resultando em melhores resultados gerais para o grupo e a organização. 

2. Comunicação aberta 

Se a cultura de feedback estiver bem estabelecida, as pessoas provavelmente se sentirão mais confortáveis para dizer o que pensam de forma respeitosa.   

Com uma comunicação mais aberta e honesta, é possível reduzir mal-entendidos e conflitos. Isso também pode beneficiar líderes e liderados ao criar um canal direto para discutir preocupações, ideias e sugestões. 

3. Aumento do engajamento 

Ser reconhecido pelo bom trabalho aumenta a motivação das pessoas. Elas se sentem mais confiantes para continuarem fazendo um bom trabalho.  

Para os líderes, ver sua equipe motivada e atingindo objetivos também aumenta a satisfação no trabalho e o senso de realização. 

4. Desenvolvimento de habilidades 

Mesmo se o feedback for uma crítica construtiva, ele é importante para a identificação de áreas de desenvolvimento pessoal e profissional. 

Muitas empresas possuem dificuldade em estabelecer, especialmente, uma cultura de feedback dos colaboradores para as lideranças. Mas mesmo nesses casos, quando ele não for positivo, é importante para captar pontos de melhoria. 

5. Promoção da criatividade 

Ao encorajar a troca de feedback, as organizações permitem que tanto líderes quanto liderados questionem o status quo e proponham novas ideias, o que pode levar a inovações e melhorias nos processos. 

Além disso, pode ajudar a organização a se adaptar mais rapidamente a mudanças, com base nos insights recebidos. 

feedback e feedfoward: três pessoas conversando em uma de escritório
Feedback deve fazer parte da cultura da empresa e não ser algo pontual

O que faz um feedback ser bom? 

Seja específico e objetivo 

Um feedback deve ser direto e focar em comportamentos específicos ou resultados, ao invés de características pessoais. Isso ajuda o receptor a entender claramente o que foi bem e o que precisa ser melhorado.  

Por exemplo, em vez de dizer “você não é colaborativo”, é mais construtivo dizer “na reunião de ontem, notei que você não compartilhou informações essenciais com a equipe, o que poderia ter ajudado na decisão”. 

Mantenha a frequência e a relevância 

Regularidade é fundamental para, de fato, construir cultura. Não apenas durante avaliações anuais.  

Isso garante que os problemas sejam tratados de forma oportuna e que o reconhecimento também tenha um impacto imediato na motivação do funcionário. 

Foco no desenvolvimento 

O propósito do feedback não é criticar, mas ajudar o outro a crescer e desenvolver novas competências. Encoraje a reflexão e ofereça suporte para que a pessoa possa melhorar. 

Isso vale tanto líderes quanto para liberados — sim, mesmo que você esteja, hierarquicamente, numa posição inferior, pode contribuir com sugestões para que seu líder cresça. Lógico, use do bom senso, saiba identificar momentos oportunos e, principalmente, se comunicar de forma eficaz.  

Use uma abordagem equilibrada 

Um feedback bem estruturado deve incluir tanto aspectos positivos quanto áreas a melhorar. Isso ajuda a manter a autoestima do receptor e sua motivação para aceitar e trabalhar sobre os aspectos críticos. 

Além disso, lembre-se que essa é uma via de mão dupla. Permita que o receptor responda ao feedback, compartilhe suas perspectivas e discuta planos de ação.  

Seja empático e respeitoso 

A maneira como o feedback é entregue importa tanto quanto seu conteúdo. Comunique-se com empatia, respeitando os sentimentos do outro. 

A SOAP tem um e-book gratuito só sobre feedbacks. Clique no botão abaixo para acessar o material e saber mais: 

Quais são os 4 tipos de feedback? 

O feedback pode ser categorizado de várias formas, dependendo do contexto, propósito e modo de entrega. Mas a seguir explicamos os quatro principais. 

Feedback positivo: é dado quando se quer reforçar e encorajar a repetição de um comportamento. É usado para elogiar um indivíduo por um trabalho bem feito, destacando os aspectos específicos que foram eficazes.  

Mas vale reforçar que “feedback” é mais do que apenas o “elogio”, que costuma ser uma expressão mais geral de aprovação ou admiração.  

O feedback faz parte de um processo maior dentro da organização e precisa ser mais assertivo e direcionado, enfatizando exatamente onde aquela pessoa acertou e por isso importa.  

Feedback construtivo ou corretivo: esse é utilizado para apontar áreas de melhoria e sugerir maneiras pelas quais um indivíduo pode desenvolver seu desempenho ou comportamento.  

Ele também deve ser específico, baseado em fatos e apresentado de maneira que encoraje o desenvolvimento, sem desmotivar o receptor. É preciso um bom domínio da comunicação para fazê-lo de forma correta. 

Feedback negativo: focado em críticas ou falhas, esse tipo aponta o que foi feito incorretamente ou o que não atendeu às expectativas. Ele pode ser necessário em alguns casos, mas precisa ser manuseado com cuidado para não desencorajar o receptor.  

Idealmente, ele deve ser acompanhado de orientações claras sobre como melhorar. 

Feedback informal: este é o feedback dado de maneira casual e espontânea. Pode ocorrer durante conversas diárias e não requer uma sessão formal de feedback. Ele ajuda a manter uma comunicação constante e abre portas para ajustes rápidos e contínuos. 

Como começar uma cultura de feedback? 

A responsabilidade de iniciar uma cultura de feedback nas organizações geralmente recai sobre a liderança sênior e o departamento de recursos humanos.  

Eles são fundamentais nesse processo não apenas por definirem as políticas e práticas. Além disso, podem (e devem) ser modelos em seu próprio comportamento, demonstrando abertura para receber e dar feedback de forma construtiva. 

Mas uma mudança efetiva ainda envolve treinamento e educação contínua para garantir que gestores e colaboradores estejam equipados com as habilidades necessárias para comunicar de maneira eficaz.  

Os departamentos de RH podem implementar programas de treinamento e o monitoramento do progresso dessa cultura dentro da organização. 

Não é uma tarefa que pode ser realizada isoladamente pela alta gestão, nem se dá da noite para o dia. Exige o compromisso de todos os funcionários, mas é iniciada e sustentada pela liderança, que deve garantir que o feedback seja uma prática constante e integrada às rotinas.  

Em um artigo na Harvard Business Review, o coach executivo Ed Batista sugere quatro elementos essenciais: 

Segurança e confiança  

Promover um ambiente em que as pessoas se sintam seguras e confiantes para dar e receber feedback genuinamente franco. Ou seja, onde as emoções possam ser discutidas abertamente e onde seja aceitável adiar conversas quando alguém não se sentir pronto.  

Compreender os colegas como indivíduos e discutir abertamente as emoções são práticas recomendadas para construir esse ambiente. 

Equilíbrio 

É importante que o feedback positivo seja tão frequente quanto o construtivo. Mas ele deve ser sincero e focado em comportamentos específicos, sem ser usado apenas como um prelúdio para críticas.  

Normalidade 

Integrar o feedback nas rotinas diárias é essencial para normalizar essa prática dentro da cultura organizacional. Isso significa oferecer feedback não apenas em ocasiões especiais, mas como parte regular das interações diárias, como durante uma caminhada pelo corredor ou ao final de uma reunião. 

Responsabilidade pessoal 

O coach ainda destaca que os líderes devem ser transparentes sobre suas próprias metas de melhoria e pedir ativamente feedback aos outros. Liderar pelo exemplo é crucial para cultivar uma cultura de feedback autêntico. 

Implementando esses quatro elementos, as organizações podem começar a formar uma cultura onde o feedback não é apenas aceito, mas valorizado como uma ferramenta para crescimento e aprendizado. 

Para aprimorar ainda mais as habilidades de comunicação e feedback na sua organização, explore a vitrine de treinamentos corporativos da SOAP. Confira uma variedade de treinamentos que podem ajudar a consolidar uma cultura de feedback eficaz e outras competências essenciais para o sucesso da sua equipe: 



Posts Relacionados

O que é comunicação assíncrona? Conheça 4 exemplos 

Comunicação
13/06/2024
leia agora

O que é mentoria profissional? Saiba como funciona e por que fazer

Treinamento
31/05/2024
leia agora

Endereço

Rua Gomes de Carvalho, 1266 - sala 72
Vila Olímpia - São Paulo | Brasil
(55.11) 4084.4085 [email protected]

No mundo

Portugal
USA
França