5 exemplos de Storytelling para atrair o público e despertar desejos

O Storytelling é uma técnica tão abrangente, que é possível pontuar exemplos de sua aplicação em diversas situações.

Treinamento SOAP
07/02/2023
7 min. de leitura
Reading Time: 7 minutes

O Storytelling é uma técnica tão abrangente, que é possível pontuar exemplos de sua aplicação em diversas situações. Desde obras artísticas, passando por desafios do dia a dia, até o meio corporativo: em todas essas esferas podemos potencializar resultados se soubermos contar uma boa história.  

Não é à toa que a técnica ganhou tanta força no marketing, tornando-se uma das ferramentas mais utilizadas em vendas. Embora muitas pessoas pensem primeiro em filmes e livros quando se fala sobre o tema, ele vai muito além. 

Mas justamente por ser mais fácil visualizar a aplicação do Storytelling onde ele é mais óbvio, nas histórias, muitos sentem dificuldade de entender como se dá a aplicação no meio corporativo.  

Por isso, nesse artigo listamos uma série de exemplos de Storytelling em diversos contextos. Dessa forma, é possível entender como ele realmente se aplica.  

Antes, é fundamental entender o conceito de Storytelling. 

O que é Storytelling? 

Storytelling é uma palavra do inglês e, em nossa língua, significa contar uma história. O termo se refere à técnica de estruturar um conjunto de informações e/ou acontecimentos de forma que se construa uma narrativa atraente e que gera conexão com o ouvinte.  

Por isso ele é tão aplicado no marketing: quando a marca consegue contar uma boa história sobre seu produto, ela chama mais atenção do cliente e gera conexão. Logo, ele fica mais propenso a comprar. 

No ambiente corporativo, o Storytelling também pode ser usado para desenvolver uma narrativa atraente em torno de uma ideia, para facilitar a compreensão de algo ensinado em um treinamento, para tornar uma apresentação persuasiva.  

Uma das principais características do Storytelling é usar gatilhos para despertar sentimentos em quem recebe a mensagem. Isso porque sentimentos, bons ou ruins, são meios poderosíssimos para gerar conexão.  

Quer entender melhor essa prática? Faça o download gratuito do e-book “Afinal, o que é Storytelling?”.

Como fazer Storytelling na prática? 

Existem diversas formas de construir uma narrativa atraente e fazer um Storytelling de sucesso, seja para despertar desejos, gerar conexão ou ser mais convincente. Para começar, podemos separar o processo em três passos: 

1º passo: reúna informações 

Sobre o que você vai falar? Qual produto vai vender? Do que você quer convencer a sua audiência? O que vai ensinar ou vender? A quem deseja convencer? Em que contexto a história será transmitida? 

Faça um estudo da sua audiência. Ou seja, pesquise para saber exatamente com quem você está falando, a faixa etária, profissão, escolaridade. Todas essas informações serão importantes para que você saiba o que falar e a maneira como irá expor seus argumentos.  

Todo bom contador de história também sabe exatamente sobre o que vai falar a seguir. Isso permite maior clareza para avançar para o passo seguinte. 

2º passo: estruture a narrativa 

Aqui entra o Storytelling efetivamente. É necessário dar à sua história um início, um meio e uma conclusão, além de colocar as informações em ordem.  

Uma das formas de fazer isso é utilizando uma das jornadas de Storytelling. São estruturas narrativas preconcebidas que podem servir de molde para construção de outras histórias: 

  • Jornada do Herói; 
  • Jornada do Idiota; 
  • Do Fracasso à Fama; 
  • Herói por Acidente; 
  • Inimigo Público Comum; 
  • Nós Somos Parecidos; 
  • Kishotenketsu; 
  • Estrutura de Atos.  

Cada um desses tipos de Storytelling possui sua estrutura e cada um deles podem ser direcionados para diferentes fins. A Jornada do Herói, por exemplo, tem grande potencial de conexão. 

3º passo: use gatilhos 

Como já mencionado, uma das principais ferramentas do Storytelling é o sentimento. Para isso, uma série de gatilhos podem ser utilizados ao longo da narrativa, a fim de gerar mais conexão e reter mais atenção de quem recebe a mensagem.  

Use fábulas, metáforas ou insira desafios para o protagonista da sua história que o coloquem na mesma posição da pessoa que você deseja atingir. Faça o receptor da sua mensagem sentir.  

Diferentes mãos segurando uma bola iluminada
Um bom Storytelling é capaz de despertar diferentes sentimentos no público

5 exemplos de Storytelling 

Dos mais óbvios, como produções audiovisuais, à aplicação em marketing, apresentações e outras situações do meio corporativo, confira cinco exemplos de como o Storytelling por ser aplicado.  

Exemplo de Storytelling na música 

Um clássico exemplo de Storytelling na música é a canção Eduardo e Mônica, de Legião Urbana. Durante mais de quatro minutos a atenção de qualquer pessoa é fisgada completamente.  

Você com certeza ficou ansioso para saber qual seria o desfecho do casal quando escutou pela primeira vez.  Não é à toa que a história tem uma grande capacidade de reter atenção, ela segue uma estrutura que se aproxima da Jornada do Herói.  

No início, o casal se conhece e lida com o primeiro desafio (“o chamado para a aventura”), que é a diferença de idade:  

“Ela fazia medicina e falava alemão 
E ele ainda nas aulinhas de inglês” 

Depois eles aceitam as diferenças, “a primeira travessia”, e ficam juntos: 

“E mesmo com tudo diferente 
Veio meio de repente 
Uma vontade de se ver 
E os dois se encontravam todo dia 
E a vontade crescia 
Como tinha de ser” 

Em seguida, a história nos apresenta os desafios que o casal enfrenta, a fase da “provação” que encontramos na Jornada do Heróis: 

“Batalharam grana, seguraram legal 
A barra mais pesada que tiveram” 

O desfecho mostra onde e como o casal está, vivendo felizes para sempre, “a ressureição, o retorno com o elixir”: 

“Eduardo e Mônica voltaram pra Brasília 
E a nossa amizade dá saudade no verão” 

Esta música poderia tranquilamente ser usada na campanha de um lote residencial em Brasília.  

Exemplo de Storytelling em peças publicitárias 

Podemos dizer que os grandes bancos e a Coca-Cola dominam a arte de fazer Storytelling em campanhas publicitárias no Brasil. A marca de refrigerantes tem alguns dos comerciais mais marcantes da TV brasileira por causa disso.  

O mais interessante é observar como apenas o uso de uma estrutura narrativa (uma história muitas vezes simples), potencializa o impacto da campanha simplesmente por usar os gatilhos corretos. Veja este exemplo: 

Assistindo a este comercial, é possível sentir raiva da vizinha antipática, pena do garotinho na casa nova, esperança ao ver toda sua família ajudando-o e emoção, com o desfecho final. Tudo isso sem usar nem uma palavra. 

Isso é possível graças à utilização de uma estrutura narrativa bem desenvolvida, personagens e contextos bem formulados e uma conclusão coerente.  

Exemplo de Storytelling em vendas  

Um bom exemplo de Storytelling de vendas no Instagram é o caso do influenciador e marqueteiro Paulo Cuenca.  

Muito conhecido pelos elementos criativos e por usar o Marketing com originalidade, Cuenca vende seu guia de Instagram contando a seguinte história em um comercial veiculado de dezembro de 2022 a janeiro de 2023: 

“Viralize com as músicas em alta essa semana e traga um monte de gente para o seu perfil que não se importa com você. Finja que está num podcast falando com ninguém para tentar achar autoridade que nunca vai ter.” 

Cuenca finaliza seu texto desmentindo essas teorias de Marketing nas quais não acredita e convida o público para seu guia. Porém, para isso, ele primeira conta uma história idêntica à de pessoas que são seu público-alvo.  

Este é um exemplo de como histórias podem gerar conexão e aumentar o desejo sobre um produto, consequentemente resultando em venda.  

Certamente, quem se identificou com o personagem que ele descreve e depois aponta como errado, terá curiosidade para saber como fazer do jeito certo.  

Exemplo de Storytelling em apresentações  

A maioria das palestras do TED Talks são grandes exemplos de Storytelling. Aqui citamos especificamente a de Richard Turere, que aos 11 anos inventou o sistema de iluminação movido a energia solar que hoje sustenta centenas de casas em Massai. 

“Um ano atrás, eu era apenas um menino nos pastos da savana, pastoreando o gado do meu pai, e costumava ver aviões passando no céu, e eu disse para mim mesmo que, um dia, eu estaria lá, dentro de um.” 

A apresentação do menino é lembrada por muitos como uma das mais emocionantes e inspiradoras. Isso porque, além de ser baseada em uma história real e naturalmente emocionante, ela aproveita esses gatilhos para reter a atenção do público. 

Numa estrutura também semelhante à Jornada do Herói, o menino cria uma narrativa baseada na sua relação com leões, que eram vistos como inimigos e graças à sua invenção agora convivem com a comunidade.  

Veja a apresentação de Richard Turere no vídeo a seguir:

Exemplo de Storytelling em educação e treinamentos 

O Storytelling também pode ser uma ótima ferramenta educacional. Isso porque, além de reter a atenção, ele é capaz de facilitar a compreensão de ideias mais complexas, por meio de recursos lúdicos.  

Um exemplo clássico são as famosas tirinhas da Mafalda, amplamente utilizadas em livros de ensino fundamental.  

Em treinamentos corporativos, o mesmo tipo de recurso pode ser utilizado. O interlocutor também pode contar histórias, usar fábulas e metáforas para explicar temas mais difíceis, por exemplo.  

Além disso, no desing do projeto da solução de aprendizagem, é possível utilizar o recurso do Storytelling de forma macro para proporcionar uma experiência completa, contemplando o pré-treinamento e o pós-treinamento, visando à sustentação e retenção do aprendizado. 

Por exemplo, um treinamento cujo objetivo é preparar um time de colaboradores para falar em público pode usar a famosa Jornada do Idiota. Essa estrutura narrativa tem o objetivo de mostrar aos outros que se você conseguiu atingir determinado objetivo, todos podem. 

O facilitador pode colocar-se como protagonista da narrativa, apresentando seus erros do passado (quando ainda não conseguia falar em público), mostrar o que o levou a superar até que estivesse exatamente onde os outros querem: falando em público. 

Por que aplicar Storytelling no meio corporativo? 

Esses são apenas alguns exemplos de Storytelling, mas a ferramenta permite um leque de aplicações gigantesco. No meio corporativo, é comprovado que usar boas narrativas ajuda a potencializar vendas, aprendizados, conexões entre colaboradores.  

Se ainda está na dúvida, aqui vão alguns dos motivos pelos quais você deveria colocar em prática: 

  • Reter muito mais atenção das pessoas; 
  • Facilitar a compreensão, mesmo de ideias complexas, em treinamentos; 
  • Aumentar o desejo da audiência sobre um produto ou serviço; 
  • Engajar o público; 
  • Tornar a sua marca ou presença muito mais forte. 

Conheça mais exemplos de Storytelling com treinamento completo 

Que tal potencializar a sua marca e os seus resultados aprendendo a aplicar o Storytelling de forma definitiva? O treinamento de Storytelling da SOAP está aberto com: 

  • Experiências ao vivo ou assíncronas, permitindo trocas e interações; 
  • Metodologia ativa (você vai aprender na prática); 
  • Grade de conteúdos completa. 

Além da teoria, seu time de colaboradores vai aprender a aplicabilidade e UX no universo das histórias; como conquistar a audiência pelas emoções, com base na neurociência; diferentes tipos de jornadas e métodos; estruturação de narrativa em diversos contextos de trabalho e mais! 

>> Entre em contato com nossos especialistas



Posts Relacionados

5 filmes com os melhores storytellings em 2023

Storytelling
22/12/2023
leia agora

7 principais técnicas de storytelling que você precisa conhecer

Storytelling
17/11/2023
leia agora

Endereço

Rua Gomes de Carvalho, 1266 - sala 72
Vila Olímpia - São Paulo | Brasil
(55.11) 4084.4085 [email protected]

No mundo

Portugal
USA
França