Kishotenketsu: você conhece essa técnica de storytelling?

Contar histórias é algo universal, e o kishotenketsu é um conceito muito empregado na poesia chinesa que influenciou outros povos.

Treinamento SOAP
17/02/2023
3 min. de leitura
Reading Time: 3 minutes

Contar histórias é algo universal, e o kishotenketsu é um conceito muito empregado na poesia chinesa que influenciou outros povos. Principalmente, nos mangás e no design de videogames.

Sempre gostamos de salientar o engajamento que os apresentadores alcançam da plateia quando elaboram eventos com storytelling. Por questão de hábito, ou por desconhecimento do kishotenketsu, muitos profissionais seguem apenas a estruturação ocidental da jornada do herói e dos três atos.

E é nesse ponto que a arte de contar histórias dos orientais difere de nós ocidentais. Eles acrescentaram uma pitadinha a mais na estrutura que conhecemos. 

Saiba que para enriquecer as suas narrativas, quem trabalha com apresentações corporativas precisa conhecer essa arte de sucesso.

Por esse motivo, elaboramos este post, para informá-lo e mantê-lo atualizado no que se refere ao kishotenketsu. Acompanhe nosso material porque aqui, vamos contar tudo para você. Vamos lá?

O que é kishotenketsu?

Kishotenketsu é a arte oriental de contar histórias. Teve como origem as poesias chinesas, mas logo caiu nas graças dos japoneses e coreanos. Diferentemente, da estrutura ocidental composta por três atos, a estrutura das suas narrativas contém quatro fases ou atos.

Conheça a tradução do termo para entender o conceito e a estruturação das quatro fases do kishotenketsu:

  • ki: introdução;
  • sho: desenvolvimento e contexto;
  • ten: complicação, conflito ou virada;
  • ketsu: conclusão e solução.

A pitada a mais que mencionamos haver no kishotenketsu é o ten (complicação, conflito ou virada). Nesse ato, os narradores acrescentam uma ou mais situações, que podem ter ou não conexão direta com o enredo.

Isso dá uma pequena quebra na aventura e faz a plateia refletir um pouco mais para tentar encontrar ligação com a história.

Esse acréscimo de narrativa não é construído nas apresentações ocidentais, pois essas são compostas por introdução, desenvolvimento e conclusão.

Conheça como funcionam os quatro atos do kishotenketsu

Para você entender melhor o kishotenketsu vamos esclarecer como funciona os quatro atos:

1.º ato (introdução)

Aqui somos apresentados à história e conhecemos os personagens e o mundo no qual eles habitam.

2.º ato (desenvolvimento e contexto)

Após a ambientação, identificaremos a relação dos personagens entre si e com o ambiente, como também as conexões emocionais.

3.º ato (complicação, conflito ou virada)

Nesse ato temos a chamada reviravolta. E como já mencionamos acima, é provável que não haja nenhum relacionamento com atos 1 e 2.

4.º ato (conclusão e solução)

Esse ato é semelhante ao 3.º das narrativas ocidentais. Aqui vem a solução que reconcilia e resolve os acontecimentos das três narrativas anteriores.

Por que o kishotenketsu é importante para as organizações?

A importância do kishotenketsu para as organizações ocidentais é o enriquecimento e a possibilidade de aumentar a inspiração nas narrativas. 

Com esse conhecimento da cultura oriental, os apresentadores conseguem impactar os seus eventos corporativos com formatos atrativos e viralizados.

Como aprender kishotenketsu no Brasil?

Para você que deseja aprender a técnica kishotenketsu e desenvolver narrativas de alto impacto, conte com o time da SOAP. Estamos preparados para ajudar você a conquistar sua audiência.

Com metodologia pioneira, a SOAP já criou mais de 15 mil apresentações para cerca de 2.200 empresas, tanto no Brasil como em outros 26 países na América e Europa e já treinou mais de 30 mil pessoas.

Atendemos 83 das 100 maiores e melhores empresas do país. Estamos organizados em 2 linhas de negócios: consultoria em apresentações e treinamentos para o público B2B e também cursos para a iniciativa B2C. 

É por conta de toda essa expertise e ofertas que SOAP significa muito mais do que “Apresentações no Estado da Arte”. SOAP significa “Você no Estado da Arte”.

Para ajudar profissionais a desenvolverem as suas habilidades na arte de contar histórias, inclusive o kishotenketsu, temos o nosso curso de storytelling. Para facilitar o seu aprendizado dividimos nos seguintes módulos:

  • Aula bônus | Os 3 erros que fazem o seu Storytelling falhar miseravelmente;
  • Módulo 1 | Por que odiamos apresentações?
  • Módulo 2 | Histórias marcam porque emocionam;
  • Módulo 3 | Desenhe sua história;
  • Módulo 4 | Regras de ouro para convencer pessoas.

Então, para encerrar essa nossa conversa de hoje, gostaríamos de esclarecer que o kishotenketsu não é melhor nem pior do que as narrativas ocidentais. 

Ela é apenas diferente na estrutura. E você pode aproveitar esse conhecimento para produzir apresentações diferenciadas na sua organização.

Siga os passos das melhores empresas do Brasil e do mundo, clique no link do nosso curso de Storytelling e estude com a gente!

fundo preto com os personagens "Wood e Garfinho" de Toy Story ao fundo e o seguinte texto: "Afinal o que é Storytelling"


Posts Relacionados

10 motivos para incluir storytelling em suas apresentações profissionais

Apresentações
27/05/2024
leia agora

O que é Storytelling e como usar nas apresentações profissionais?

Storytelling
29/04/2024
leia agora

Endereço

Rua Gomes de Carvalho, 1266 - sala 72
Vila Olímpia - São Paulo | Brasil
(55.11) 4084.4085 [email protected]

No mundo

Portugal
USA
França