Saiba como melhorar a dicção com estas 9 dicas de especialistas!

Pense nesta situação: surge a oportunidade de contato com um potencial cliente difícil de se convencer.

Treinamento SOAP
05/05/2021
6 min. de leitura

Pense nesta situação: surge a oportunidade de contato com um potencial cliente difícil de se convencer. Ele abre um espaço na agenda, você se prepara da melhor forma para fazer uma boa apresentação do negócio, mas acaba se atrapalhando nas falas. Isso acontece, geralmente, porque os pensamentos e movimentos não estão na mesma frequência, prejudicando a fala. Por isso, você entende que precisará trabalhar sua dicção.

Mas, afinal, como melhorar a dicção e evitar esse tipo de cenário? Ninguém deseja perder grandes oportunidades de negócio porque não conseguiu falar com calma, de maneira a ser compreendido, concorda?

Elaboramos este artigo pois sabemos a importância de construir o processo da fala nas apresentações. Sendo assim, listamos as melhores sugestões de especialistas para que você consiga desenvolver uma perfeita dicção.

Vamos lá?

Por que é tão importante falar bem?

Durante a carreira, são inúmeras as ocasiões em que o profissional precisa demonstrar uma comunicação assertiva para convencer a audiência — mesmo que esta seja composta de uma só pessoa. Nesse sentido, a boa dicção é capaz de potencializar os argumentos e dar ainda mais clareza às suas falas.

A boa articulação das palavras contribui para que a outra pessoa compreenda o que o locutor pretende oferecer. Os constantes pedidos para que você repita o que disse e os sinais de incompreensão do público podem causar grande impacto na sua confiança em termos profissionais.

Quando isso acontece, abre-se espaço à insegurança no próprio potencial, o que leva à queda no rendimento e na produtividade. Essa situação pode despertar uma reação em cadeia.

Agora pense em uma apresentação profissional, realizada para toda a empresa, por exemplo. Muito além da criação de um roteiro eficiente, é preciso colocar as ideias na prática, cuidando também da entonação, da pronúncia e até da escolha das pausas.

Em um cenário mais distante, há quem busque como melhorar a dicção para perder o sotaque, por exemplo. Este recurso costuma ser bastante útil para apresentadores de telejornal, que precisam dialogar de maneira mais neutra com a população e se fazer ouvir de um modo simples. Atores também se beneficiam da prática, tendo em vista a necessidade da construção de diversos tipos de personagens nas diferentes histórias.

Como melhorar a dicção em passos simples?

Não existem fórmulas milagrosas que, de um instante para outro, melhorem a dicção de uma pessoa. O que há são cuidados e exercícios para treinar ao menos alguns minutos por dia para alcançar esse objetivo.

As dicas que listamos podem ser feitas logo ao acordar ou até mesmo antes de dormir. O importante é investir na prática sempre que houver um tempo disponível. Veja agora o que você pode fazer para melhorar a sua dicção.

1. Trabalhe exercícios para a dicção

A dicção clara e precisa depende bastante da articulação da língua e dos músculos da região facial. Os exercícios são excelentes formas de trabalhar essas questões e moldar a maneira como a pessoa fala.

É importante ter cuidados consigo mesmo, mas nada substitui o auxílio profissional. Se quer saber como melhorar a dicção de vez, procure um fonoaudiólogo para o acompanhamento da sua fala. Paralelamente, continue investindo em exercícios como os que separamos a seguir. Eles podem até parecer engraçados, mas são eficientes.

Trava-língua

Repita em voz alta as seguintes frases, de maneira clara e tentando não errar:

  • Num ninho de mafagafos há sete mafagafinhos. Quando a mafagafa gafa, gafam os sete mafagafinhos.
  • O Rato roeu a rica roupa do rei de Roma! A rainha raivosa rasgou o resto e depois resolveu remendar!
  • O tempo perguntou ao tempo quanto tempo o tempo tem, o tempo respondeu ao tempo que o tempo tem o tempo que o tempo tem.
  • A aranha arranha a rã. A rã arranha a aranha. Nem a aranha arranha a rã. Nem a rã arranha a aranha.
  • O que é que Cacá quer? Cacá quer caqui. Qual caqui que Cacá quer? Cacá quer qualquer caqui.

Caneta ou rolha

  • Coloque uma caneta ou rolha entre os dentes;
  • Em seguida, trabalhe a pronúncia de numerais, dias da semana, rimas, entre outros recursos;
  • Após uma série desses exercícios, treine sem o objeto entre os dentes, com foco na pronúncia.

2. Defina seu ritmo de fala

Há pessoas com a fala mais calma, enquanto outras seguem o ritmo do pensamento acelerado, dificultando a compreensão das suas mensagens. Vale encontrar um meio-termo em que você se sinta confortável, de modo a pronunciar todas as sílabas, sem que haja a sobreposição delas.

Aliado a isso, faça o relaxamento da sua voz, por meio do treino de nasalização. A prática funciona da seguinte forma:

  • posicione o dedo polegar e o indicador sobre o nariz;
  • por cerca de 60 segundos, imite o zumbido de abelha com a boca fechada, sentindo a vibração do nariz;
  • faça uma pausa por 30 segundos e repita o exercício.

3. Ouça sua voz gravada

Esse exercício pode ser feito, inclusive, antes de todos os outros. Ele consiste em gravar a própria voz, a partir da leitura de um texto ou poema. Na sequência, coloque a gravação para tocar e ouça atentamente a sua fala, pontuando os aspectos que não agradam e podem ser mais bem trabalhados.

Um deles se encontra nos vícios de linguagem que influenciam na credibilidade dos seus discursos — termos como "tipo", "aí", "ãhm" e "é". Com esse conhecimento, você se monitorar para evitá-los.

4. Treine a respiração

Para que aconteça a fala, há a passagem de ar pelas cordas vocais. Isso significa que a respiração está intimamente relacionada com a boa dicção. Respirar fundo, pelo diafragma, é essencial para atingir os objetivos de falar melhor. Esse exercício é bastante recomendado pelos fonoaudiólogos.

Com a rotina movimentada, nem sempre nos lembramos de respirar corretamente. Esse também é um dos motivos que prejudicam o discurso. Por isso, é importante adquirir controle e capacidade respiratória.

O exercício de respiração é simples:

  • procure ficar em uma posição confortável, seja sentado com a coluna reta, seja deitado;
  • coloque uma de suas mãos no abdômen, para sentir melhor a respiração;
  • inspire pelo nariz, enchendo o pulmão, e conte até 4;
  • segure a respiração por 2 segundos;
  • expire pela boca, contando também até 4 — o ideal é esvaziar o ar do pulmão e da barriga;
  • repita esse exercício 4 vezes e trabalhe-o todos os dias, para melhorar a respiração.

5. Preste atenção na pronúncia das consoantes

Tenha em mente que a prática contribui para as melhorias. Então, inclua na rotina de exercícios alguns momentos para treinar a sua fala. Aqui, note como as consoantes estão saindo: se são pronunciadas de maneira clara, se elas se misturam a outros fonemas ou se unem a termos próximos.

O ideal é que elas sejam mais limpas e bem pronunciadas. Para isso, um exercício interessante vem com a leitura em voz alta de poemas e frases, sempre com foco na pronúncia. Com alguns minutos de treino por dia, você perceberá bastante diferença na sua fala.

6. Trabalhe a postura

Trabalhe sempre que puder a postura física correta. Isso quer dizer que você deve manter a sua coluna vertebral sempre ereta, tanto na posição de pé quanto na sentada. Nada de se alimentar, assistir TV ou ficar em frente ao computador envergado nas cadeiras e sofás.

Além de ser mais elegante, quando a pessoa mantém a postura correta, ela consegue respirar melhor, consequentemente falando melhor. Esse hábito também evita dores e danos futuros e irreversíveis na coluna vertebral. Fora isso, pessoas que permanecem de cabeça baixa, envergadas e de ombros caídos, passam a sensação de derrota ou problemas com relacionamento interpessoal.

7. Atente para a linguagem corporal

Para saber como melhorar a dicção, atente-se para a sua linguagem corporal. Ela deve ser compatível com o que você pretende falar. Mas nada de exageros ou movimentos bruscos; balançar os braços demais, pular e andar rápido aceleram os batimentos cardíacos, forçam a respiração e podem lhe deixar ofegante.

8. Cuide das cordas vocais

As pregas vocais são popularmente conhecidas como cordas vocais. Quando vibram, formam os sons que emitimos em nossa fala. São compostas por músculos e mucosa e, para permanecerem sadias, precisam de alguns cuidados — tanto físicos quanto alimentares. Conheça os principais cuidados com as cordas vocais para você entender como melhorar a dicção:

  • não grite ou fale alto durante muito tempo;
  • evite raspar a garganta e ficar pigarreando;
  • mantenha a garganta hidratada;
  • procure não fumar;
  • evite o consumo bebidas alcoólicas;
  • tenha cuidados com alimentos muito temperados, gelados ou quentes demais;
  • fique atento a mudanças bruscas de temperaturas, tanto as altas quanto as baixas são prejudiciais para as cordas vocais;

9. Estimule a musculatura facial

A nossa face contém cerca de vinte grupos de músculos. Sendo assim, como as outras partes do nosso corpo, a musculatura facial também deve ser estimulada. Os exercícios faciais, como soltar o rosto com expressões exageradas, facilitam o movimento da nossa boca, melhorando a nossa dicção no momento da palestra.

Como a alimentação influencia a dicção nas apresentações?

Conforme disse o gastrônomo, advogado e político francês Jean Anthelme Brillat-Savarin: Diga-me o que comes, que te direi quem és. Podemos concluir que a alimentação influencia tanto nosso corpo quanto em funções como a dicção para uma fala ideal.

Assim, existem alimentos benéficos para a dicção que proporcionam a fala ideal nas audiências e nas apresentações profissionais. Saiba quais são e como atuam:

  • água age na hidratação;
  • maçã hidrata e limpa;
  • frutas cítricas como a laranja e o limão absorvem os excessos de mucosas nas cordas vocais por meio de seus sucos;
  • mel e própolis agem como lubrificantes;
  • romã contém propriedades antimicrobiana, antifúngica e anti-inflamatória

Por outro lado, há alimentos e substâncias que devem ser evitados por quem pretende manter a saúde da garganta e a boa dicção. Basicamente, são todos os que prejudicam as cordas vocais. Observe os principais:

  • alimentos gordurosos provocam refluxos e atrasam a digestão;
  • nicotina resseca as pregas vocais;
  • bebidas alcoólicas provocam a irritação da laringe;
  • cafeína irrita a laringe por conter muita acidez;
  • leite e seus derivados impulsionam o aparecimento de secreção nas mucosas, como os pigarros.

Em suma, quem busca como melhorar a dicção demonstra que está investindo no futuro profissional. Como se percebe pelos benefícios dessa prática, esta é uma grande oportunidade para aliar a boa fala ao seu poder de persuasão. O resultado é notado nas apresentações, reuniões, conversas importantes com clientes, com a liderança, entre outros cenários e eventos.

Agora que você já sabe como melhorar a dicção. Continue no blog e leia o nosso artigo sobre autoconfiança para aprimorar ainda mais sua fala em público!



Posts Relacionados

Como passar credibilidade em uma abordagem por telefone?

Comunicação
15/06/2022
leia agora

Curadoria de conteúdo: o que é e como ela potencializa discursos?

Apresentações
13/06/2022
leia agora

Endereço

Rua Gomes de Carvalho, 1266 - sala 72
Vila Olímpia - São Paulo | Brasil
(55.11) 4084.4085 [email protected]

No mundo

Portugal
USA
França