Comunicação estratégica: descubra sua importância e como adotar!

Veja também tendências para 2024 nesta área

Treinamento SOAP
18/04/2024
5 min. de leitura
Reading Time: 5 minutes

Comunicação estratégica é, basicamente, a forma como uma empresa se relaciona com seu público — seja ele interno ou externo — nos pontos de contato e como define os aspectos relacionados a essa comunicação:  

  • a mensagem central 
  • a forma 
  • os canais 
  • a recorrência 
  • o CTA — Call to Action (ou Chamada para Ação  

Isso é o que vai fazer, de fato, a comunicação ser assertiva. 

4 pilares para uma comunicação estratégica: 

1. Conhecer a audiência 

A comunicação existe para alguém que, geralmente, será uma parte interessada no negócio. Mas quem é esse público? 

Ou seja: qual é sua faixa etária? Quais são os papéis que desempenha (sejam clientes, funcionários, fornecedores, parceiros etc)? Por qual (ou quais) motivos a sua mensagem interessa a essas pessoas? 

Informações sobre o perfil da audiência serão a base para desenvolver toda a estratégia de comunicação depois: escolher os canais certos para falar, antecipar dificuldades, definir o tom da mensagem. 

2. Ter um objetivo claro 

Sem um objetivo, não pensamos estrategicamente, deixamos os resultados à sorte. Além disso, se você não sabe por qual motivo vai transmitir a mensagem, por que transmiti-la então? 

A verdade é que, muitas vezes, o objetivo da comunicação existe no consciente da pessoa que a realiza. Mas saber colocá-lo com clareza sobre a mesa é fundamental para não o perder de vista.  

Exemplo: ao realizar uma reunião de feedback com funcionários, sabemos que o objetivo é que eles melhorem. Mas essa ainda é uma informação muito vaga para a redação de um roteiro, de fato, estratégico.  

Você precisa saber: 

  • Em qual ou quais aspectos, especificamente, essas pessoas precisam melhorar (assim, poderá abordar exatamente essas questões na reunião e propor melhorias para cada uma delas) 
  • O quanto essa melhoria vai impactar nos resultados da empresa e, consequentemente, no desenvolvimento profissional daquelas pessoas (isso te permitirá argumentar melhor com os funcionários sobre a importância de uma mudança e eles serão mais abertos a isso, porque entenderão que, de fato, é algo necessário) 

Isso é apenas um exemplo, mas se aplica a qualquer troca de mensagens estratégicas: saber exatamente o que se quer para que seja possível traçar o mapa até essa meta. 

3. Planejar 

Os comunicadores precisam ter um método que possibilite a criação de um plano sempre que necessário. Isso porque não podemos depender de momentos particularmente inspirados para sermos efetivos nessa área. 

Esse pilar da comunicação estratégica diz respeito ao cerne de tudo isso: traçar o mapa, a estratégica, o plano de ação.  

Com as informações sobre o público e a mensagem bem alinhadas, é hora de definir os canais, o tom, os argumentos, os CTAs. Colocar toda a ação no papel. E isso não pode ser feito de forma desorganizada, é necessário ser bem estabelecido na rotina produtiva, com método. 

4. Alinhar mensagem e linguagem visual 

No planejamento, a mensagem que pretendemos transmitir e a linguagem visual são pontos-chave. Ambas devem fazer sentido em relação ao objetivo proposto e serão como os tijolos que compõem a sua estratégia de comunicação. 

Neste pilar, estamos falando de criar aquilo que foi planejado e, se necessário, fazer ajustes para que todos os meios de linguagem (visual, escrito ou qualquer outro) estejam alinhados e transmitindo a mensagem de forma adequada. 

Comunicação estratégica no ambiente corporativo 

Quando se fala em comunicação estratégica, muitas pessoas tendem a pensar apenas no panorama externo da organização. Mas esse também é um aspecto importante internamente.  

Estratégia fará com que todas as mensagens sejam mais assertivas, refletindo no sucesso e na sustentabilidade do ambiente corporativo. 

Isso também ajuda a garantir que todos na organização compartilhem uma compreensão comum dos objetivos, valores e estratégias da empresa. Cria um senso de propósito compartilhado que é muito importante para a motivação dos funcionários por vários motivos: 

  • os funcionários compreendem melhor como suas atividades se encaixam no cenário macro da empresa, o que faz com que eles se sintam valorizados e responsáveis pelo sucesso do negócio também;  
  • ajuda a construir e manter uma cultura organizacional positiva por meio da comunicação de valores, normas e expectativas claramente definidos;  
  • também é importante para gerenciar mudanças dentro da organização, sejam elas estruturais, tecnológicas ou estratégicas. A maneira como essas mudanças são comunicadas pode ter muito impacto na forma como são recebidas pelos colaboradores.  

Por tudo isso, ela pode ser um poderoso instrumento para o desenvolvimento profissional e pessoal dos colaboradores. Ao promover a comunicação aberta e oferecer canais para feedback e diálogo, as empresas podem criar oportunidades para aprendizado contínuo. 

Estudo sobre comunicação estratégica na América Latina destaca os aspectos principais que moldarão essa área em 2024

7 pontos sobre comunicação estratégica para ficar de olho 

O mais recente Latin American Communication Monitor (LCM), o estudo sobre comunicação estratégica e relações públicas na América Latina, destaca os aspectos principais que moldarão essa área em 2024: 

  1. Ações de diversidade, equidade e inclusão (DE&I)  

O Brasil é um dos países da região onde esse debate é mais proeminente na área de comunicação, junto com Porto Rico e Chile. 

Mais de 80% dos profissionais disseram que as ações relacionadas ao DE&I e a coerência entre o que se faz e o que se diz é crucial para manter a confiança dos stakeholders, internos e externos. 

Embora os departamentos de comunicação não sejam os principais responsáveis diretos por desenvolver ações desse tipo, mais da metade (62%) trabalham em conjunto com outros departamentos (como o de RH) nesta questão. 

  1. Liderança empática  

O estudo destaca características como: atenção e escuta, preocupação com o bem-estar das outras pessoas e demonstração de sensibilidade e compreensão, e identificação dos pontos fortes e limitações daqueles que compõem a equipe, partindo especialmente das lideranças. 

Os resultados sugerem que a liderança empática melhora o comprometimento e a saúde mental na gestão da comunicação, o que pode ter um impacto positivo em diversas áreas. 

  1. União entre Comunicação e Tecnologia (CommTech)  

A maioria dos entrevistados acredita que essa parceria vai mudar totalmente o trabalho de comunicação estratégica, mas o relatório também identifica que ainda é um tema pouco debatido, então merece mais atenção. 

Apenas 11% dos departamentos e agências de comunicação adotaram totalmente a CommTech. Há vários desafios identificados, mas em geral dizem respeito a deficiências organizacionais, como barreiras estruturais e tarefas/processos de comunicação não preparados para a digitalização.  

  1. Comunicação mais alinhada com a estratégia do negócio 

Em relação a edições anteriores da pesquisa, agora parece haver uma percepção mais difundida sobre a importância da comunicação e do seu papel consultivo. 

Agora, as empresas e profissionais estão recorrendo mais à comunicação para apoiar as decisões da gestão e sentem maior necessidade de conectar as estratégias da organização com a área de comunicação. 

  1. Disparidades salariais  

Homens ainda ganham mais que mulheres na área de comunicação na América Latina. Embora isso não diga respeito às práticas  da comunicação estratégica em si, é relevante que as empresas estejam atentas a mudar esse cenário.  

  1. Comunicação como vetor de competitividade 

O  Latin American Communication Monitor 2022/2023 identificou que apenas dois a cada dez departamentos de comunicação nas empresas são excelentes. Quase 80% deles não atingiram os níveis de excelência estabelecidos pelo estudo.  

Por isso, aqueles que conseguem desempenhar suas funções consultivas e executivos da maneira ideal se destacam. Ideal seria: enfatizar  iniciativas de diversidade, ter comunicação mais empática, adotar tecnologias precocemente para aprender a lidar com seus desafios mais cedo.  

  1. Consultoria de comunicação externa  

A maioria dos profissionais de comunicação na América Latina percebe um aumento na necessidade de consultoria externa para a comunicação com as partes interessadas (73%) e para estruturar a comunicação nas organizações (70%). 

Além de ser uma tarefa complexa e que, muitas vezes, não cabe na rotina produtiva do negócio, terceirizar a estratégia de comunicação ou buscar apoio externo para desenvolvê-la internamente pode influenciar na qualidade da mensagem.  

A SOAP pode ajudar 

A SOAP é uma consultoria de comunicação com mais de 20 anos de experiência no mercado, ajudando empresas e profissionais a transmitirem suas mensagens da melhor maneira possível em momentos decisivos.  

Dentre diversos, treinamentos temos um focado especificamente em estratégia de comunicação.  

Vamos dar os primeiros passos? Conheça o treinamento SOAP Estratégia de Comunicação.   

Neste curso você e seu time aprenderão:  

  • Compreender a importância de uma estratégia de comunicação eficaz;  
  • Reconhecer seus principais elementos e conceitos sobre o tema;  
  • Definir o público-alvo e classificar os canais de comunicação mais adequados;  
  • Elaborar seu planejamento e implementar sua estratégia de comunicação;  
  • Avaliar e medir resultados para mapear a eficácia da estratégia, com foco em melhoria contínua  

Quer saber mais? Saiba mais aqui!  



Posts Relacionados

O que é comunicação assíncrona? Conheça 4 exemplos 

Comunicação
13/06/2024
leia agora

13 mulheres inspiradoras e seus melhores discursos

Apresentações
29/05/2024
leia agora

Endereço

Rua Gomes de Carvalho, 1266 - sala 72
Vila Olímpia - São Paulo | Brasil
(55.11) 4084.4085 [email protected]

No mundo

Portugal
USA
França