Saiba como prender a atenção do público em uma apresentação

Você tem dificuldade em prender a atenção do público? Então veja dicas do roteirista da SOAP, Gustavo Penna, para criar apresentações imperdíveis do início ao fim

Treinamento SOAP
29/05/2023
6 min. de leitura
Reading Time: 6 minutes

O primeiro passo para prender a atenção do público é entender que isso não é o mais importante, nem o mais difícil. O mais desafiador, seja em uma apresentação, treinamento ou qualquer outra situação, é manter o interesse ao longo do discurso.  

É isso que a maioria das pessoas quer aprender de verdade quando procuram sobre reter atenção ou chamar atenção. Quem nos ensina sobre isso é Gustavo Penna, roteirista da SOAP:  

“Chamar atenção das pessoas é, na verdade, fácil. Basta gritar ou chorar ou bater palma na frente de alguém, na mesma hora a pessoa vai olhar. O mais difícil é reter essa atenção, mantê-la.” 

Além disso, o especialista destaca que “prender a atenção” é uma ideia talvez muito radical e determinista. Afinal, não se pode obrigar o outro a ter interesse naquilo que você está dizendo.  

Por isso, não se prende a atenção, se influencia. Ou seja, não se trata de aprender como obrigar os outros a te escutarem, mas entender como fazer com que eles queiram escutar o que você tem a dizer.  

“As pessoas prestam atenção naquilo que elas quiserem ou forem compelidas a prestar atenção”, diz Gustavo.  

Aqui entra um dos principais segredos para qualquer orador que deseja ter a atenção de sua audiência: aprender a psicologia por trás do processo, entender como gerar interesse no outro a partir de suas emoções.  

Agora que já desconstruímos a ideia que você tinha sobre “prender a atenção” dos outros, estamos prontos para verdadeiramente entender como fisgar sua audiência.  

Como organizar sua apresentação para prender a atenção do público? 

Ninguém fala sem a pretensão de ser compreendido e de ter a sua ideia comprada. Por isso, embora a audiência também vá ser beneficiada ao prestar atenção em um treinamento corporativo, por exemplo, está com o apresentador a principal responsabilidade de reter a atenção.  

“É como entrar em um jogo de futebol. Você não entra em campo sem a intenção de ganhar. Então jogue”, reflete Gustavo Penna. 

Da mesma forma, ninguém inicia uma apresentação ou treinamento profissional sem a intenção de ser compreendido.  

Dito isso, é importante saber que existem várias formas e recursos que podem funcionar com o objetivo de manter o interesse das pessoas no que você está dizendo. Mas uma das coisas mais importantes é a estrutura do discurso, o roteiro.  

Embora receba vários nomes e versões, a estrutura de 3 atos ou estrutura aristotélica é a mais utilizada e uma das mais recomendadas.  

Trata-se de um conceito de narrativa que remonta à Grécia Antiga, formulado pelo filósofo Aristóteles. Essa estrutura é frequentemente utilizada na dramaturgia, no cinema e na literatura para criar histórias cativantes e bem-organizadas, mas também pode ser aplicada ao meio corporativo. 

Os três atos da estrutura aristotélica são os seguintes: 

Ato I – Apresentação: Também conhecido como “exposição” ou “apresentação”, estabelece o cenário e a situação inicial da história. Ele apresenta o contexto, o conflito principal e os elementos essenciais que serão desenvolvidos ao longo da narrativa.  

Ato II – Confronto: é também conhecido como “conflito” ou “desenvolvimento”. Nessa parte da história ou discurso, o conflito central se intensifica e são apresentados os desafios, obstáculos e reviravoltas.  

Ato III – Resolução: também chamado de “clímax” ou “resolução”, é o momento em que o conflito principal atinge seu ponto mais alto. Nessa fase, os desafios são resolvidos, os dilemas são enfrentados e as questões levantadas ao longo da história são respondidas.  

Ok, mas como aplicar isso a um contexto profissional? É o que Gustavo Penna explica! 

A estrutura de atos em uma apresentação ou treinamento corporativo 

Aplicar a estrutura de três atos a um contexto profissional, como apresentações ou treinamentos corporativos, pode ser uma maneira eficaz de envolver o público-alvo e prender a sua atenção ao longo do discurso. 

Mas como na vida real não há personagens e as histórias não se desenvolvem como na dramaturgia, é necessário entender como adaptar essa estrutura. É mais fácil do que parece e o assunto é extenso, mas Gustavo nos ajuda a começar a compreendê-lo.  

Primeiro de tudo, o especialista salienta que a estrutura de atos se baseia em fundamentos da psicologia com o objetivo de alcançar uma reação desejada da audiência. Não se trata de uma regra criada do nada. 

“Não é só porque o Aristóteles mandou. Estamos falando de psicologia humana.” 

Dito isso, o objetivo de estruturar seu discurso é mover a pessoa do estado de atenção para o interesse, então mover do interesse para a confiança e da confiança para a ação. Penna explica na prática: 

Ato I – Confiança 

Para chamar a atenção do público desde o início da sua apresentação, precisa destacar o que é relevante para ele.  

Lembra que atenção é fácil de conseguir, o difícil é reter atenção, fazer com que a pessoa permaneça atenta? Pois um jeito de fazer isso é induzir a pessoa a sair do nível da atenção e chegar ao nível do interesse.  

“E como fazemos isso? No ato 1, dizendo para a nossa audiência: tem alguma coisa que você vai ganhar comigo”, explica Gustavo Penna. 

Em outras palavras, é necessário estabelecer claramente o benefício que o público terá ao prestar atenção à sua mensagem. Mostre que você tem algo valioso para oferecer ou que há algo que eles podem perder caso não prestem atenção.  

Essa abordagem inicialmente desperta o interesse do público. 

Ato II – Confiança 

“O ato II é sobre provar para a pessoa que você não está louco. Porque quando dizemos para a pessoa que temos algo que importa para ela, na verdade a deixamos desconfiada de nós”, diz Gustavo.  

Portanto, enquanto a introdução (ato I) vai deixar o público desconfiado, no ato II é hora de tirar a pessoa do estado de simples interesse e levá-la a acreditar no que se propõe, à confiança. 

No ato II, é importante construir confiança e credibilidade, provar que suas ideias são sólidas e confiáveis. Forneça dados, exemplos, estudos de caso ou depoimentos que sustentem suas afirmações.  

Mostre ao público que você tem conhecimento e autoridade sobre o assunto. Isso ajudará a aumentar a confiança do público em relação a você e à sua mensagem. 

Ato III – Ação 

O ato III é sobre levar o público a tomar medidas concretas com base na sua apresentação ou treinamento. Ou seja, tirar a pessoa do estágio da confiança e levá-la para a ação. Como? Encaminhando para uma ação prática. 

“Agora que você já viu que meu plano te interessa e que ele se sustenta, te mostro como fazer isso funcionar.”  

Mostre à sua audiência o passo a passo para implementar as estratégias ou as ações necessárias para obter os resultados desejados.  

3 truques para reter a atenção do público 

Além da estrutura de atos, o especialista Gustavo Penna sugere três truques de oratória que podem ser poderosas ferramentas para reter a atenção do público e aumentar o impacto da sua mensagem. 

Use o nome da pessoa que escuta ou o pronome “você”:  

“A palavra favorita que a gente gosta de ouvir é o nosso nome e a segunda é ‘você’, porque nos sentimos vistos”, explica Gustavo.  

Ao se dirigir diretamente ao público, você cria uma conexão pessoal e estabelece uma sensação de proximidade. Isso faz com que as pessoas se sintam notadas, aumentando o engajamento e o potencial de identificação com a mensagem.  

Faça pausas: 

Pausas, além de serem necessárias para um discurso mais claro e ritmado, quando usadas de forma estratégica criam expectativa e ênfase durante a fala.  

Uma pausa dramática bem colocada antes de revelar uma informação importante ou uma ideia impactante pode gerar suspense e manter o interesse do público.  

Mulher durante a apresentação de um projeto a diversas pessoas sentadas em uma mesa
Pausas criam expectativa e ênfase durante uma apresentação profissional

As pausas também permitem que as pessoas assimilem e processem o que foi dito, criando momentos de reflexão. Elas podem ser particularmente eficazes quando usadas em momentos-chave da apresentação, destacando postos-chave ou chamando a atenção para uma mudança de direção. 

Provoque reflexões e evite respostas mastigadas:  

Ou, como diz Gustavo, nunca diga “quatro”, diga sempre “dois mais dois”. Ao invés de fornecer respostas diretas e prontas, provocar reflexões no público pode ser mais envolvente e estimulante. 

Ao apresentar perguntas desafiadoras, dilemas ou exemplos intrigantes, você estimula o pensamento crítico e mantém o público engajado. Isso permite que as pessoas processem a informação de forma mais profunda, conectem-se emocionalmente com a mensagem e construam entendimento. 

“Nosso cérebro ama resolver problemas. Então quando você leva a pessoa a concluir coisas, você a leva a fazer parte daquela contação de história, ainda que ela esteja quieta, faz o cérebro dela ficar continuamente conectado.” 

Portanto, ao invés de simplesmente entregar informações de forma passiva, incentiva a participação ativa e a reflexão individual do público. 

Seja um apresentador irresistível 

Para ser um apresentador irresistível e prender atenção do público, é necessário dominar as técnicas de comunicação e oratória. Isso, junto com bons roteiros, é o que faz engajar as pessoas por meio de suas emoções.  

O treinamento SOAP Apresentador pode ser a solução para quem busca esse objetivo. Mais do que um workshop de oratória, ele permite desenvolver autoconhecimento, consciência verbal e não verbal, além de trabalhar com técnicas para diminuir o gap de percepção entre a imagem que você gostaria de transmitir e o que o outro vê. 

Nesse treinamento, você e sua equipe vão aprender a: 

  • Gerar conexão e engajamento com a audiência/interlocutor; 
  • Transmitir credibilidade ao falar em público; 
  • Mitigar vícios de expressão; 
  • Usar recursos vocais e pausa; 
  • Falar de forma congruente ao objetivo; 
  • Explorar a sua singularidade e autenticidade. 

Ficou interessado? Então saiba mais e entre em contato com os nossos especialistas: 



Posts Relacionados

Como interagir com o público em uma apresentação? Veja 7 formas

Apresentações
28/02/2024
leia agora

10 temas para convenção de vendas em 2024

Apresentações
31/01/2024
leia agora

Endereço

Rua Gomes de Carvalho, 1266 - sala 72
Vila Olímpia - São Paulo | Brasil
(55.11) 4084.4085 [email protected]

No mundo

Portugal
USA
França