Storytelling: o que é e como aplicar no dia a dia

Desde sempre, as relações humanas se pautam em histórias.

Treinamento SOAP
09/05/2022
2 min. de leitura

Desde sempre, as relações humanas se pautam em histórias. Consumimos e contamos uma série de histórias, que seguem uma estrutura com começo, meio e fim. Seja em filmes, livros, notícias ou novelas, as narrativas têm personagens, ambientação, conflitos e viradas surpreendentes. 

O storytelling não é nada mais do que a prática de aplicar essa estrutura narrativa em conteúdos de marketing. Em tradução, a palavra significa “contar histórias”, mas de forma relevante, com emoção e conexão com o público.

Esse modelo de narrativa se destaca, principalmente, diante das relações superficiais estabelecidas pelas redes sociais. Cada vez mais, as pessoas procuram propósito e afinidade para selecionar suas marcas e produtos favoritos.

Como surgiu o storytelling?

O storytelling se tornou uma ferramenta de comunicação digital no início dos anos 90. A ideia de emocionar pessoas e contar histórias relevantes, como já acontecia na indústria cultural, surgiu como uma necessidade mais urgente com as ferramentas digitais.

Os primeiros estudos da prática se baseiam em teorias narrativas criadas por Aristóteles. Posteriormente, isso serviu de base para a famosa fórmula da Jornada do Herói. Essa fórmula estabelece uma estrutura padrão para a criação de narrativas, que consiste na trajetória de um personagem. A ideia é partir de um ponto (começo), apresentar os conflitos vividos pelo personagem (meio) e finalizar a história com a superação das dificuldades (fim).

Principais técnicas

Como falamos no parágrafo anterior, a fórmula estrutural do storytelling inclui uma narrativa com começo, meio e fim. Por isso, independentemente da mensagem que você queira passar, é importante criar um roteiro seguindo essas etapas. 

Dentro desses momentos da história, crie ambientação, personagens, conflitos e um grande momento de superação/ mudança. Explore toda a parte visual e sonora do conteúdo para potencializar o poder da narrativa.

Em teoria, existem quatro modelos de personagens que ativam gatilhos psicológicos. Isso facilita a identificação do público com a história. Esses personagens podem ter os seguintes perfis:

  • pessoa comum;
  • pessoa fracassada sofredora; 
  • herói inspirador ou pessoa má em conflito moral. 

Ao explorar essas características, é grande a chance de viabilizar o espelhamento no público, e, consequentemente, o acesso às emoções.

Onde aplicar o Storytelling?

Nós vimos que o storytelling partiu das estruturas narrativas mais antigas, passando pelos modelos de história utilizados nos filmes, literatura e indústria cultural, em geral. No mundo dos negócios, o storytelling pode ser utilizado para criar apresentações de ppt, conteúdos de redes sociais, campanhas publicitárias, apresentações internas e muito mais.

Esse modelo de narrativa serve, inclusive, como solução para a apresentação de dados e relatórios massantes. As tabelas e gráficos podem ser exploradas de forma acessível e interessante, aumentando o alcance de entendimento entre o público. Para saber mais, acesse o post Storytelling com dados: números e narrativas envolventes.

Além do storytelling, você também pode aprimorar a comunicação em apresentações explorando o design. Na Escola SOAP, desenvolvemos cursos específicos para quem quer criar slides e conteúdos criativos e impactantes. Os treinamentos Uau! Design e Storytelling! são dois exemplos. Acesse e confira!



Posts Relacionados

Como passar credibilidade em uma abordagem por telefone?

Comunicação
15/06/2022
leia agora

Curadoria de conteúdo: o que é e como ela potencializa discursos?

Apresentações
13/06/2022
leia agora

Endereço

Rua Gomes de Carvalho, 1266 - sala 72
Vila Olímpia - São Paulo | Brasil
(55.11) 4084.4085 [email protected]

No mundo

Portugal
USA
França